Benefícios para a Sociedade

Benefícios para a Sociedade

A pesquisa e o desenvolvimento de novos produtos e serviços relacionados à cadeia de valor do Smart Grid proporcionará uma participação mais ativa do consumidor na gestão de sua energia e permitirá às concessionárias avaliar os benefícios e as demandas na adaptação à nova realidade. É também uma grande oportunidade de estreitar ainda mais o relacionamento com nossos clientes, cuja participação será fundamental para o sucesso do programa.

A rede elétrica com a aplicação do conceito Smart Grid já está bem avançada na Europa e nos Estados Unidos. Existem produtos nesses locais que permitem o fornecimento de informações de consumo de todas as concessionárias de serviços públicos, como água, gás e energia elétrica, em apenas um aparelho, traduzidas em valores correspondentes à moeda local.

O Programa Smart Grid não é de interesse somente da concessionária. As práticas adotadas para sua implantação e os resultados alcançados são estratégicos e de interesse da sociedade como um todo. Os benefícios do Smart Grid se estendem a diversos atores do mercado tais como: sociedade, clientes, meio ambiente, regulador, sistema elétrico nacional e concessionárias de energia elétrica.

Para os consumidores, a aplicação dessa nova tecnologia no Brasil vai permitir a prestação de novos serviços e agilizar os que já existem, através principalmente da manutenção e do atendimento remotos, além de possibilitar ao cliente o acompanhamento dos níveis de qualidade da energia recebida. O programa de P&D também amplia o número de canais de comunicação da concessionária com o consumidor, como, por exemplo, a utilização de televisores, telefones celulares, aplicativos web, mídias sociais, canais adaptados para pessoas com deficiências ou necessidades especiais e mostradores avançados, que oferecerão ao cliente a possibilidade de acompanhar seu consumo, através de interfaces amigáveis tais como gráficos e estimativas de consumo.

Outro grande benefício para a sociedade será a maior eficácia na realização de programas de uso racional e eficiente de energia atrelados a potencial redução dos gastos com energia elétrica, melhorias na qualidade do fornecimento de energia, redução do furto de energia e de emissões de CO2.

Os benefícios para os consumidores e para a sociedade incluem:

  • Possível participação ativa do consumidor no mercado utilizando o conceito de “prosumidor”, ou seja, podendo vir a fornecer energia para a rede. Bem entendido, para serem colocadas em prática, tal conceito e tarifas associadas devem ser regulamentadas pela Agência Nacional de Energia Elétrica ou autorizadas para utilização em projetos-piloto em caráter experimental;
  • Informações em tempo real sobre o serviço prestado e sobre seu consumo de energia;
  • Capacidade de gerenciamento da carga e de se beneficiar de tarifas diferenciadas de energia, adequadas a seu consumo (bem entendido, tais tarifas devem ser regulamentadas pela Agência Nacional de Energia Elétrica ou autorizadas em caráter experimental para o projeto-piloto);
  • Redução do tempo de atendimento;
  • Melhoria na qualidade do serviço prestado;
  • Maior privacidade em decorrência da não necessidade de visitas frequentes de leituristas.

Para as concessionárias de energia elétrica, consequentemente revertidos para a sociedade durante os ciclos de revisão tarifária através do princípio da modicidade, os benefícios incluem:

  • Detecção e correção inteligente de falhas na rede em tempo real;
  • Reconfigurações automáticas da rede;
  • Gestão preventiva via monitoramento dos ativos da rede;
  • Monitoramento da qualidade do fornecimento de energia bem como melhoria nos índices associados e na confiabilidade do sistema elétrico;
  • Suporte à geração e ao armazenamento distribuídos de energia;
  • Gerenciamento energético pelo lado da demanda;
  • Gestão e monitoramento de ativos de rede em tempo real;
  • Fornecimento de informações aos clientes em tempo real, tarifas, produtos e serviços inovadores apropriados a sua realidade que induzam uma mudança de hábito rumo ao consumo eficiente de energia, adequação de seu consumo com seu orçamento, bem como redução de CO2;
  • Ampliação dos canais de relacionamento com os clientes e informação detalhada do serviço prestado;
  • Gestão em tempo real da oferta x demanda de energia;
  • Medição inteligente;
  • Combate ao furto de energia;
  • Expansibilidade e suporte a novos tipos de consumidores tais como veículos híbridos recarregáveis e/ou elétricos;
  • Melhorias na eficiência operacional.